Trabalho em progresso. Ithamara Koorax canta composições de David Calderoni. Guitarra de Joseval Paes

 

Ithamara Koorax

Aclamada pelo New York Times e considerada uma das três melhores cantoras de jazz do mundo (ao lado de Diana Krall e Cassandra Wilson) pela revista DownBeat, Ithamara Koorax é uma das artistas brasileiras de maior sucesso internacional. Lançou 25 CDs, participou de mais de 200 discos, gravou inúmeras trilhas para cinema, novelas e séries da TV Globo – entre elas “Riacho Doce”, “Araponga”, “Renascer”, “Pedra Sobre Pedra”, “Fera Ferida”, “Estrela Guia” e “Celebridade”.

Além do jazz, trafega com igual desenvoltura por vários outros estilos: do pop à música eletrônica, da MPB à bossa nova. O crítico Frank John-Hadley (DownBeat), sentenciou: “Ithamara é uma das mais belas vozes da criação”.

Suas gravações aparecem em compilações ao lado de faixas de Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan, Chet Baker e Tony Bennett. Gravou com Antonio Carlos Jobim, Elizeth Cardoso, Luiz Bonfá, Ron Carter, Larry Coryell, Marcos Valle, Hermeto Pascoal, Martinho da Vila, John McLaughlin, Gonzalo Rubalcaba, Eumir Deodato, Dom Um Romão, os grupos Azymuth e Os Cariocas, os DJs Parov Stelar e Tom Novy.

Fez shows antológicos também com Edu Lobo, Guinga, Tim Maia, Paulo Cesar Pinheiro, Tito Madi, João Donato, Paulo Moura, Milton Banana, Luiz Eça e muitos outros. Ithamara já se apresentou em mais de 20 países (EUA, Inglaterra, França, Suiça, Alemanha, Japão, Coréia etc), em alguns dos principais palcos do planeta.

Incluída entre as melhores cantoras da história do jazz na enciclopédia The Jazz Singers (lançada nos EUA pelo historiador Scott Yanow), vencedora de inúmeros prêmios no Brasil (APCA, Premio Sharp, Premio da Música Brasileira) e exterior (com vários discos eleitos entre os “melhores do ano” por revistas como DownBeat, JazzTimes, Swing Journal), emplacou sucessos radiofônicos como “Iluminada”, “Got To Be Real”, “Never Can Say Goodbye” e “Can’t Take My Eyes Off Of You”.

Todos os seus discos alcançaram grande sucesso internacional. “O Grande Amor” – gravado na Europa com o Peter Scharli Trio – foi eleito um dos melhores lançamentos de 2011 pela DownBeat, recebendo a cotação de quatro estrelas e meia. “Brazilian Butterfly” foi votado um dos melhores de 2007. Ao analisar o disco “Opus Clássico” (2015), o site World Music Report definiu Ithamara como “miraculosa”, comparando-a a Barbara Hendriks e Kathleen Battle. “Ela deveria ser declarada um tesouro nacional, e não existe ninguém que atualmente mereça mais este elogio”. O All About Jazz contemplou “Opus Clássico” com quatro estrelas e meia, lembrando que outro lendário crítico – Ira Gitler, autor da “Enciclopédia do Jazz” – definiu a voz de Ithamara como um instrumento de “eloquência celestial”.

A biografia de Ithamara Koorax atesta sua versatilidade, desafia rótulos e não se prende a estilos. “Gosto de todos os gêneros, e acredito que a boa música é atemporal e universal, não conhece barreiras”. Como escreveu o jornalista Armando Nogueira: “Quando Ithamara canta é mais um gol do Brasil!”

 


Joseval Paes

Paulista, Joseval Paes começou a estudar música aos 10 anos com o seu pai, José Paes (Pernambuco Guitarra). Desde os 14 anos, passou a frequentar o ponto dos músicos na Praça da Sé e o ponto da Ipiranga na Avenida São João, ouvindo histórias e tocando junto aos músicos da Bossa Nova e da Bossa Jazz. Ainda na década de 1980, começou a sua carreira na vida noturna, tocando guitarra e percussão em bandinhas, bailes e festas.

Entre os grupos, clubes e orquestras que Joseval atuou ao longo dos anos estão o Clube Piratininga, Orquestra Colúmbia, Toscano e sua Orquestra, Orquestra Carinhoso, Cantina Vico do Scugnizzo, Orquestra de Osmar Milani, Banda Reveillon, Orquestra Francisco Petrônio. Orquestra maestro Tíbor, Clodo e sua Orquestra, Orquestra Show Cubana, Orquestra Maestro Azevedo, Shining Brass Band, Orquestra Maestro Élcio Álvares, Orquestra Maestro Zezinho, Orquestra Clóvis e Ely, Grupo Roda Viva, Grupo Saint Paul, Osvaldo Sândoli e sua orquestra, Big Band Sampa, Ed Costa Orquestra, entre outras. Se apresentou ao lado de artistas como Arismar do Espírito Santo, Wilson Teixeira, Bob Wyatt, Jorge Savedra, Sílvio Fats, Michel Leme, Moacir Peixoto, Rubens Barsotti, Luís Chaves, Rogério Botermaio, Vinícius Dorin, Nelson Aires, Roberto Sion, Fernando Correia, Roland Wagner, Arrudinha, João de Deus, Luiz Chaves, Edmundo Villani Cortês, Agnaldo Rayol, Ivete Matos, Ralf, Francisco Petrônio, Cristina Campos, Roberto Leal, Mário Armstrong Jr., David Gordon, Ísis Gordon, Tony Gordon, Celso Miguel, Vera Lúcia, Mara Melgis. Firma com Hector Costita, em 1993, sua parceria mais intensa e que perdura até os dias atuais. Com mais de 2500 apresentações acumuladas, o duo se apresenta em diversas formações e em vários lugares.

Das casas de jazz, Joseval já subiu nos palcos do Ao Vivo Music, Opus 2001, Sanja Jazz Bar, Jazz and Blues, Café Piu Piu, Baiuca, Blue Night, Boubon Street, Melograno Jazz Bar, All off Jazz. Tom Tom Jazz Bar, Teta Jazz Bar, The River Café – New York.

Além de atuar como professor de guitarra e do setor de artes cênicas do Conservatório de Tatuí, toca na Big Band Profissional e dirige a Big Bang Jovem do Conservatório. Também ensinou no Conservatório do Morumbi, Conservatório do Mooca e na Escola de Música do Zimbo Trio. Desenvolveu, em 1992, um método próprio de ensino musical e desde então ministra aulas de violão, guitarra, contrabaixo e piano.

Veja também: