Onde a Pele da Alma é Fina.

Esta página foi arquitetada para complementar e contextualizar “Onde a Pele da Alma é Fina”, terceiro disco de David Calderoni.

Apresentação

Por David Calderoni, outono de 2012

Revendo os meus percursos até este terceiro disco, penso no quanto a música se tornou essencial para mim e para o além de mim.

Para o Além de Mim, cantos brotam sonhos que enlaçam outros…:

fruto da minha paixão pela economia solidária, Trama Justa é a canção-trilha do meu documentário homônimo centrado na Justa Trama, cadeia autogestionária do algodão orgânico integrado pelas aguerridas amigas gaúchas da Univens – Cooperativa de Costureiras Unidas Venceremos;

Trama Justa inicia a jornada de Viagem a Mondragón, projeto de filmagem, intervenção e investigação noticiado adiante;

tributo de gratidão à queridíssima mestra-parceira Marilena Chauí, Despedida descortina a sua poesia a um só tempo sublime e visceral, néctar que me nutre há décadas de artepensamento…; vem daí que, sem que eu me desse conta, o Benedito de Trama Justa já se preparava na idéia de que a verdade é luz que a si mesma se manifesta;

desfraldando o Projeto Transcriando, a canção Mim motivou-se do encontro entre brasileiros, franceses, índios e quilombolas em junho de 2011, durante a projeção e debate do meu vídeo Invenções Democráticas no Quilombo na Brésil en Mouvements, mostra parisiense de documentários sociais brasileiros, promovida pelos confrades altermundialistas da ONG Autres Brésils;

composta em 2011, Levante da Aurora desenvolve imageticamente reflexões de O silêncio à luz de Caetano, ensaio que escrevi dez anos antes para uma coletânea sobre arte e psicanálise, dando a pensar que, para a sede de justiça do judeu tão estrangeiro no espaço como no tempo, uma saída do exílio vem sendo articular com as artes as ágoras dos de fora do agora – tais como Invenções Democráticas no Quilombo que desaguaram em Mim e no Projeto Transcriando (referidos adiante).

Nas palavras cruzadas do inferno ao eterno, Lírios e Onde a Pele da Alma é Fina vocalizam balanços sobre e sob os influxos do amor. Assim como as canções dedicadas à filha Júlia, à neta Clara, ao amigo Cristiano e aos manos Zé e Sá, simbolizam a música como fiação originária dos mais caros laços humanos, testemunhados pelo encontro com os excelentes músicos e colaboradores elencados e, particularmente, com Rafael Lobo, parceiro de ouro, com quem já estamos a confeccionar Justo & Solto, novo disco a ser lançado no corrente ano.

Sobre a aventura-travessia-urdidura que foi o casamento de ritmos e estilos de criação entre mim e os músicos e arranjadores que se enlaçam neste disco…, não consigo falar nada à altura.

Que advenha, então, o tempo do silêncio: de quem me escuta e imagina; do que me é onda ultramarina.

Sobre David

David Calderoni, poeta,

é autor de Enviajando (Via Lettera, 2004), Vagalumzzz (Livraria, 2005) e Zórtex (Sinergia, 2012).

Em 1976, aos 18 anos, em virtude de estrofes encabeçadas pelo verso Hoje eu encontrei com meu pai, foi declarado poeta pelo escritor, dramaturgo e psicoterapeuta Roberto Freire em artigo intitulado É preciso saber morrer o pai para não cometer suicídio, que Freire publicou no periódico Aqui São Paulo e republicou em 1977 na abertura do livro Viva Eu, Viva Tu, Viva o Rabo do Tatu!.

Em 1993, entre 900 inscritos, A João Guimarães Rosa figurou entre os 31 poemas selecionados e publicados pela União Brasileira de Escritores na Antologia do Concurso Nacional Gilberto Mendonça Teles de Poesia.

Os poemas Sexo e Oração para Haroldo foram publicados na edição de 11 de julho de 2004 do Caderno de Cultura do jornal Folha de São Paulo, acompanhados de ilustrações do artista plástico Felipe Cohen feitas especialmente para os poemas.

Leia o texto completo.

Partituras

Neste link você tem acesso às partituras dos violões, transcritas com maestria por Diogo Carvalho. Neste outro, tem acesso aos primorosos arranjos de cordas do Maestro Luís E. Corbani.

Projeto Transcriando

1. Vídeo de apresentação do projeto, contendo clipe da canção Mim

2. Canção Moi L’Indien

Transcriação em parceria com Dominique Di Bisceglie & Jean-Francis Poulet (Francis Brasilis). Acesse a letra da canção aqui.

3. Transcriação de ‘Mim’ para o Tupi

Transcriação realizada por Jaô Tupinambá. Acesse aqui.

4. O projeto em detalhes

Saiba mais sobre o Projeto Transcriando.

Invenções Democráticas no Quilombo

1. Documentário Invenções Democráticas no Quilombo

Direção de imagens e montagem de Laura Del Rey.

2. Canção ‘Olha o Degrau!’

Canção extraída da trilha sonora do documentário. Acesse neste link a letra da canção e neste o primoroso arranjo de cordas do Maestro Luís E. Corbani.

3. O projeto em detalhes

Saiba mais sobre os projetos ‘Invenções Democráticas no Quilombo’ e ‘Quilombocanta’.

Projeto Viagem a Mondragón

1. Documentário inaugural Trama Justa

2. O projeto em detalhes

Saiba mais sobre o projeto Viagem a Mondragón.

Ficha técnica

Camerata Studio
– Violinos: Alexey Chashnikov (spalla), Andreas Uhlemann, Carolina Kliemann, Elina Suris e Tatiana Vionogradova
– Viola: Andrés Lepage
– Violoncelo: Heloísa T. Meirelles
– Contrabaixo: Alexandre Rosa
– Arranjos e regência: Luís E. Corbani

– Preparação e direção vocal: Viviane Barrichello e Wagner Barbosa
– Transcrição do violão original em partituras: Diogo Carvalho

Gravações
– Estúdio Arsis (SP): Adonias Souza Jr. (todas as canções) e Daniel Tápia (Mano ao Mar, Levante da Aurora, Onde a Pele da Alma é Fina e Trama Justa)
– Studio Brothers (Porto Alegre): Wayner Nunes (Moi L’Indien)
– Estúdio 185 (SP): Rodrigo Carraro (Pelos Olhos de Clara e Mim) e Beto Mendonça (Mim) Estúdio Tocalyra (RJ): Vinícius Lyra (Mim, pré-produção)
– Estúdio Garimpo (RJ): Emiliano Sette (Macumba-Ciranda, pré-produção)
– Estúdio Wave (Ubatuba-SP): Vitor Larangeira (Levante da Aurora, Lírios e Macumba-Ciranda)

– Design do encarte: Laura Del Rey

Fotos
– Olho de David: Laura Del Rey; David e Rafael: Vitor Larangeira; David e Clara (com retrato de Dri): Lucas Bittencourt Martins Moreira
– Mixagem e Masterização: Adonias Souza Jr. – Estúdio Arsis (SP)
– Produção: David Calderoni e Adonias Souza Jr.
– Agradecimentos: a Talitha e Vitor Larangeira e a Marco Niz, pelas inesquecíveis jornadas solidárias de gravações em Ubatuba e a Ulisses Rocha, pela generosa e preciosa consultoria.

Veja também: